Diga Aos Lobos Que Estou Em Casa

quinta-feira, julho 17, 2014

Apesar de ler muitos livros e conhecer muitas histórias volta e meia me deparo com algo único. Nem sempre isso acontece, e eu acho que já fazia mais de um ano que eu não lia algo tão bom quanto "Diga Aos Lobos Que Estou Em Casa" de Carol Rifka Brunt.


 Simplesmente um livro mágico e íncrivel que conta uma história encantadora.


Norte de Westchester, 1986, June Elbus tinha apenas 14 anos quando descobriu que a única pessoa no mundo, que realmente a entendia e com quem ela gostaria de passar o resto da sua vida, estava morrendo. Seu tio e padrinho Finn estava com AIDS, e por mais que June não soubesse muito a respeito desse vírus - que era considerado um tabu na época - ela sabia que em questão de meses ele estaria fraco demais para levá-la ao Cloisters, ouvir Requiem de Mozart ou até mesmo para finalizar o retrato que Finn resolveu pintar de June e Greta, sua irmã mais velha de 16 anos.


June e Greta costumavam ser inseparáveis quando crianças, porém, Greta vinha se tornando uma pessoa fria e cruel, sempre disposta a criticar June ou criar situações que a deixavam constrangida ou deprimida. Para Greta, o retrato que Finn pintava era um desperdício de tempo já que todas as tardes de domingo eram reservadas a sair de Westchester e enfrentar uma longa viagem até Manhattan, e para June estas tardes eram os melhores momentos de sua semana, quando ela podia sentir o cheiro de laranja e lavanda do apartamento de Finn, tomar chá no bule russo, comer biscoitos e observar os longos dedos de Finn segurando um pincel em ação. No fundo, June sentia algo forte demais pelo seu tio, algo que não seria certo. Afinal, ele era de sua família, irmão de sua mãe. E June sabia que Finn era gay porém ela jamais conheceu algum pretendente de Finn ou se quer ouviu falar de algum amigo em especial, até onde June sabia, Finn era dela e ela era dele. Uma relação de puro amor, entre duas pessoas que apreciavam a vida da mesma maneira.

Muitas vezes June se sentia sufocada: a péssima relação com Greta, a falta de amigos, um tamanho avantajado para alguém de sua idade, a época dos impostos - que afastava seus pais de casa - entre outras inseguranças faziam com que ela fugisse para o bosque que ficava atras da escola usando botas marrons que Finn dera a ela. No bosque June fingia estar em outra época, ela se imaginava na Idade Média, perdida em uma floresta. E seguindo o riacho, logo acima da colina era possível ouvir uivos. Muitas vezes June realmente acreditava que estes uivos vinham de lobos.



Durante um inverno rigoroso, quando June estava sozinha em casa fazendo sua lição de geologia, o telefone toca e tem um homem que June não conhece do outro lado da linha, e esse homem começa a falar algo sobre Finn e sobre sentir muito por algo... sentia muito sobre a morte de Finn. Seu amado Finn se fora e ela estava sozinha.

"Eu me deixei cair pra trás, de forma que fiquei deitada e estirada na neve, olhando para cima, para os desenhos torcidos que os galhos nus das árvores faziam contra o céu cinza. Depois de a terra se acomodar em volta do meu corpo, tudo ficou imóvel, e, embora tentasse manter meu cérebro na Idade Média, Finn continuava se esgueirando pra dentro da minha cabeça. Desejei que ele tivesse sido enterrado em vez de cremado, porque, assim, eu poderia tirar as luvas e apertar a palma das mãos no solo e saber que ele estava ali em algum lugar. Que, por meio de todas aquelas moléculas de terra congelada, ainda havia uma conexão. 
[...]
Quando me sentei vieram os uivos."



Por incrível que pareça, Finn conseguiu finalizar o retrato das irmãs. E algumas semanas após a morte dele, a mãe de June trouxe a pintura envolta num saco preto e a colocou em cima da mesa, June logo se pôs a abrir sabendo que não teria nada a temer. Mas havia alguma coisa diferente no retrato desde que June o vira da última vez, haviam 5 botões descendo pela frente da camiseta de June. Ao reparar bem ela até achou muito estranho o fato daqueles botões pretos estarem ali pois ela não imaginaria porque Finn colocaria botões em sua camiseta e porque os pintaria como borrões feitos por uma criança.

Tão inesperado quanto os botões, foi a chegada de um pacote em seu nome alguns dias depois, e dentro dele o bule de chá russo de Finn devidamente embrulhado em camadas de jornal e plástico bolha. Junto ao bule tinha um bilhete sem remetente, porém endereçado a June. A grande surpresa era que o bilhete não era de Finn, e sim de um homem chamado Toby, que diz ter sido um grande amigo de Finn. No bilhete Toby marca um encontro com June, e pede para que ela não conte nada a ninguém, afinal, parecia que todos na família o odiavam e não entenderiam o motivo do encontro. June tentou arrancar algumas informações sobre esse homem de Greta e acabou descobrindo que Toby era o companheiro de Finn, que ele passou AIDS para Finn. Para Greta e seus pais Toby era considerado como um assassino, e apesar disso ele estava morando no antigo apartamento de seu tio.


" A única pessoa que sente saudades de Finn tanto quanto eu " foi o que ele disse no bilhete. June sempre foi muito curiosa, e ninguém em sua casa contava a versão completa a ela, sempre soube que faltava algo, mas agora com a morte de Finn e o aparecimento de Toby em sua vida, ela precisava saber o que aconteceu. June precisava descobrir a verdade que nem Greta sabia. Afinal, se Toby era companheiro de seu tio, por que não conhecia ele? Nunca foi mencionado? E por qual motivo sua família o odiava tanto, se nem ao menos o conheciam direito? Seria ele mesmo que passou AIDS para Finn? A quantos anos eles se conheciam? E Finn amava Toby mais do que amou ela? Então foi ao encontro de Toby.

" O sol continuava escorregando para longe, e imaginei quantas coisas pequenas e boas do mundo poderiam estar se apoiando nos ombros de algo terrível."

Confesso que quando comecei a ler o livro não levei muita fé. As primeiras 80 páginas foram intermináveis para mim. Mas também, admito que me sinto péssima por não ter lido cada uma dessas palavras com mais carinho, apreciando cada frase lentamente porque agora, sinto a tal da "ressaca literária" quase tão forte quanto senti lendo Convergente de Veronica Roth. Estou amando esse livro com uma intensidade tão forte que volta e meia me pego pensando em June, Toby e Greta. São 464 páginas em 66 capítulos de muitas revelações, inseguranças e ao mesmo tempo sentimentos profundos e obscuros. Gostei muito dos assuntos abordados - como a AIDS, o relacionamento entre irmãos e o amor incondicional - e achei todo o enredo muito bem conduzido pela Carol, as coisas certas aconteciam nos momentos certos e do jeito certo, sabe?


Realmente há muito tempo não lia um livro tão bom, uma história tão pura e verdadeira sobre formas diferentes de amor, perda e ao mesmo tempo reaproximação. O leitor acompanha claramente June evoluindo da menina que corria no bosque com medo dos lobos para uma heroína que luta pela verdade, pelas pessoas que ama enfrentando os próprios lobos que moram dentro de seu coração. 

"- Qual é o superpoder de June Elbus?
[...]
 - Coração. Coração duro - falei, sem saber ao certo de onde aquilo viera. - O coração mais duro do mundo.
  - Hummm - Toby disse, batendo um dedo no ar. - Esse é útil, sabe? Muito vantajoso. A questão é... 
 Fez uma pausa como se estivesse pensando em tudo aquilo com muita seriedade.
  - Qual a questão? 
  - A questão é: pedra ou gelo? Quebrar ou derreter?"



Preciso dizer também, que tenho um costume bem feio, eu dobro a ponta da página para sinalizar onde eu li uma frase incrível e o meu "Diga aos Lobos Que Estou Em Casa" está cheio dessas páginas dobradas! Encontrei frases que vou levar pra sempre comigo e sinto muito por não ter como compartilhar todas com vocês, por isso leiam o livro e me contem o que acharam!

Nota para o livro: 5 cupcakes

Alguém já conhecia ou já leu? Vai ler?

Pode ser que você também goste:

Comente com o Facebook

21 comentários

  1. NÃO LÍ, NÃO LÍ NADA, porque tenho medo de ler spoiler HAHAHAHAHA
    Guria tô chocada, eu comecei a ler esse livro ONTEM o.o Tá, eu lí sim o inicio, mas quando começou a falar do livro parei tá? Volto aqui e leio tudo quando terminar a leitura <3
    Mas já ví que tu gostou e espero gostar também :D
    Beijos Mari

    Lovely Evv
    Instagram da Evv

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. CALMA, CALMA! hhahaha Assim, eu não curto dar spoiler descaradamente sabe. Nas minhas resenhas eu procuro abordar o assunto até o ponto ideal, até onde vocês, minhas leitoras queridas, possam ficar com o gostinho de "quero mais" e a vontade de ler o livro. Acreditem ou não, mas resenhei em média até a página 100. Pra um livro de quase 500 páginas é pouco né?
      Se você gostar - o que eu tenho certeza que vai - me conta tá Evelin! To doida pra falar desse livro com outra pessoa!
      Beijos!!

      Excluir
    2. Terminei hoje o livro. Muito bom!
      Adorei sua resenha!
      Queria saber o porque do urso na capa....
      Bjos

      Excluir
  2. Nossa Marieli, acho que preciso parar de ler as suas resenhas, hahaha. Toda vez que termino de ler necessito imediatamente do livro que foi indicado e assim sinto que ficarei pobre bem rápido, hehe. O livro parece ser incrível e eu amei a capa, então, preciso mesmo muito ler!
    Beeijo
    www.descombina.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. NÃAAO, você não pode parar de ler minhas resenhas Helo! Adoro você comentando nos meus posts guria, hahah não suma! Obrigada de coração <3
      Beijos

      Excluir
  3. Nossa esse livro parece ser muito legal só pela sua resenha fiquei encantada, já anotei ele e vou procurar para comprar.

    http://cerejabrilha.blogspot.com.br/
    beijoks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Angela! Sim, é um livro incrível mesmo! Beijos

      Excluir
  4. O livro parece bem legal, acho que vou adicionar ele na minha lista de livros que pretendo ler hehe. O engraçado é que com a capa eu imaginava uma estória muuuuito diferente, já tinha ouvido falar dele mas não fazia ideia de que tipo de livro se tratava.

    www.colecionandosonhos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Amanda, sim! Tipo, tem um urso na capa mas tem lobos no titulo né? Nada a ver, hahahah mas no final das contas tudo faz sentido!

      Excluir
  5. Nunca li esse livro, mas depois dessa resenha entrou para minha lista de desejados ^^
    As fotos estão perfeitas!
    foradocontextoo.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida! Leia e me conta o que achou! Beijos

      Excluir
  6. Me interessei muito por esse livro, já entrou pra minha - enorme - lista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bela, temos algo em comum... uma - enorme - lista. AHAHAHH
      besos

      Excluir
  7. Que capa linda , não conhecia o livro ...

    Beijos ,
    mundodasgarotasforever.blogspot.com.br - retribui a visita ? ♥

    ResponderExcluir
  8. Que lindas as fotos! Eu já vi esse livro pessoalmente e achei a capa muito linda. Minha irmã quase comprou ele, não lembro porque ela não levou.

    http://www.cerejasnotopo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, então diz pra sua irmã comprar ele logo e emprestar pra você, ok? hahahah

      Beijos!

      Excluir
  9. Gostei das fotos e da resenha. Ainda não o conhecia, quero ler!! Um beijo, Na Mesma Frequência

    ResponderExcluir
  10. Li no ano passado e a história também me surpreendeu. Fiquei dias imaginando o quadro e os desenhos que ele ia ganhando. Assim como imaginei as duas irmãs que se comunicavam através dele. Vale a pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Cecy, eu também ficava pensando em tudo que acontecia no livro, imaginando os mínimos detalhes!
      Beijos

      Excluir

Citação

  • Looks do Dia

    Facebook